Este site usa cookies para melhorar a navegação. Ao navegar no website concorda com o seu uso. Para saber mais, leia a nossa Política de Cookies.

“Truques” para aumentar a autonomia de um elétrico

“Truques” para aumentar a autonomia de um elétrico

Os veículos elétricos têm uma autonomia impressionante quando comparados com os modelos de há uma década, mas nunca é demais aprender alguns truques. Do mesmo modo que se pode poupar combustível, também existem formas de fazer com que a bateria renda uns quilómetros extras.

Condução

Independentemente do automóvel e do tipo de motor, quanto mais forte, brusca e agressiva for a condução, maior é o consumo. Moderação e suavidade são duas das palavras-chave, por muito que os veículos elétricos sejam um convite a arranques rápidos – fruto de um binário elevado, a reação é imediata. A maioria dos modelos tem vários modos de condução, entre eles estão o modo Eco e o Sport. É fácil de perceber qual o mais adequado para poupar energia. Vários estudos mostram que reduzir a velocidade média em cerca de 16 km/h pode aumentar a autonomia em cerca de 14%.

Travagem

Nos veículos elétricos, o ato de travar é muito mais do que um gesto inerente e indispensável à condução. Aqui ajuda a poupar. A maioria dos carros elétricos tem sistemas de travagem regenerativa que evitam o desperdício e permitem a compensação de energia. O condutor só tem de se habituar a ativá-los e deixar que ele trave por si só. Perigoso? Não. É uma questão de hábito.

Pneus

Ter os pneus com a pressão certa não é um capricho dos mecânicos ou fabricantes de automóveis, se bem que haja uma tendência para desvalorizar este facto. Cerca de um terço dos automobilistas circula com a pressão incorreta nos pneus. Além do perigo, pode levar a acidentes, aumenta o consumo de combustível. Neste caso, de energia. A chamada lei da compensação.

Aquecimento

Seja de verão ou de inverno, há dias em que é quase impossível não recorrer ao ar condicionado, esse grande consumidor de energia. O segredo está em nunca colocar no nível máximo e, sobretudo, preaquecer o carro enquanto este está ligado à tomada. Outro truque é recorrer ao aquecimento dos bancos e do volante (desde que o modelo em causa o tenha disponível, é claro), uma vez que consomem menos. Caso seja mesmo preciso abrir a janela, convém que seja a baixas velocidades, caso contrário afeta a aerodinâmica e, consequentemente, a autonomia.

Peso

Quando menos peso, mais bateria. Dependendo do peso, a autonomia pode aumentar entre 1 e 2%. É pouco, sim. Mas é alguma coisa.

Carregamento  

Neste caso, o termo de comparação não são os automóveis com motores a combustão, mas sim os computadores portáteis. Isto é, se o carro estiver na garagem e carregado, não há razão para estar ligado à tomada. (Se bem que aqui a questão não seja consensual.) O ideal mesmo é que o carregamento termine pouco antes de arrancar, evitando assim potenciais desperdícios. Alguns modelos ainda têm tendência a descarregar lentamente após o carregamento chegar ao fim.

Aerodinâmica

Nos veículos elétricos todos os pormenores contam. A aerodinâmica é fundamental, por isso quanto menos resistência oferecerem à passagem do ar, mais eficientes serão. Assim sendo, o tunning pode não ser o melhor amigo de uma boa autonomia.

Main Sponsor

Electric Partners


Ecosystem Partners


Apoio Institucional